Ligue-se a nós

Agenda

Músicos leirienses juntam-se a festival online solidário com artistas

The Gift, Surma e First Breath After Coma vão participar no festival online.

Publicado

em

Music Feeds
Foto: Facebook Everybody Belongs Here

Nos próximos dias 28 e 29 realiza-se um festival de música “online”, organizado pela EveryBody Belongs Here (EBH) que junta membros da comunidade artística da Grã-Bretanha, Estados Unidos e Portugal.

A ideia é a de conseguir “ajudar da melhor maneira possível” artistas e profissionais da música que têm passado por dificuldades nos últimos meses, disse o mentor da iniciativa o múdico Saul Davies.

Em Portugal, a ajuda é direcionada para a União Audiovisual, que apoia, com bens alimentares, profissionais do audiovisual.

O cartaz inclui os portugueses The Gift, Surma, The Legendary Tiger Man, Selma Uamusse, Throes & The Shine,First Breath After Coma, a moçambicana Selma Uamusse e ainda Sam Smith, Fontaines DC, Steve Mason, dos Beta Band, The Slow Readers Club, entre outros.

O músico Saul Davies, guitarrista da banda britânica James, em declarações à Agência Lusa realçou “a importância da responsabilidade social dos músicos em agir de forma positiva, não podendo ficar de braços cruzados e apoiar todos os que precisam”.

Esta iniciativa não acontece devido à atual situação pandémica, realçou o músico, reconhecendo que 2020 “não foi um ano de grandes oportunidades para os músicos mostrarem o seu trabalho”.

Todavia, realçou, “não se pode ficar numa apatia em casa e há que fazer coisas em prol de todos e alcançar uma vida normal”, disse Saul Davies.

O Festival resulta de diversas prestações gravadas pelos artistas , às quais se tem acesso por “streaming” no site e, adquirindo o bilhete em htts://link.dice.fm/40msd8tpbcb.

Cada sessão diária do Festival terá a duração de cerca de duas horas e meia.

Os alcobacenses The Gift vão gravar duas canções para o festival, num teatro em Ovar, no distrito de Aveiro, Surma gravou em Sintra, nos arredores de Lisboa, e os First Breath After Coma em Leiria, contou Saul Davies, referindo que as bandas e intérpretes internacionais gravaram, maioritariamente, em teatros e salas de espetáculo, nomeadamente em Londres, Glasgow, na Escócia, Exeter, no Sudoeste de Inglaterra ou em Nova Iorque e em Nashville, no Estado norte-americano do Tennessee.

POPULARES