Ligue-se a nós

Cinema

Fleabag – 3 Razões para ver Fleabag

“O humor de Waller-Bridge pode não ser para todos, mas é sem dúvida franco e sem papas na língua”.

Publicado

em

Fleabag
Foto: Facebook Fleabag

Título: Fleabag
Criadora: Phoebe Waller-Bridge
Ano: 2016
Classificação IMDB: 8.7

 

Baseada na peça de teatro homónima, Fleabag é uma das melhores séries britânicas dos últimos anos. Damos-lhe três motivos para ver esta série hoje.

Um humor fora da caixa e descarado.

O humor de Waller-Bridge pode não ser para todos, mas é sem dúvida franco e sem papas na língua. As personagens são humanas, desajeitadas e peculiares. As situações em que se colocam são embaraçosas, mas não são rebuscadas. São reais e aparentemente poderiam acontecer a qualquer um. Os diálogos são ricos, naturais e muito divertidos.

Uma história espetacular e surpreendente.

Fleabag não existe apenas com o objetivo de fazer rir. A história que se desenrola ao longo da temporada tem tanto de cómico como de dramático, com muita substância para preencher todas as necessidades dos espetadores. A viagem de Fleabag (personagem principal) para superar a morte trágica da sua melhor amiga, para encontrar o amor e a aceitação e para se reconciliar com os seus sentimentos e ações é incrível de acompanhar e reflete intimamente quem somos nos vários quadrantes da vida.

A participação de grandes atores.

Phoebe Waller-Bridge, criadora e protagonista da série, rodeou-se de um conjunto fantástico de atores, perfeitos para cada papel. Sian Clifford é Claire: irmã, confidente e o seu maior apoio; Olivia Colman é a madrinha que se torna madrasta, uma personagem que Waller-Bridge diz ter criado propositadamente para Colman; Bill Paterson é o pai que não sabe como lidar com as filhas; e Andrew Scott ficou conhecido como o padre “bonzão”, cuja fé é mais humana do inabalável.

Veja aqui o trailer:

Filipa Reis sempre foi apaixonada pelas imagens do grande ecrã e também do pequeno. É consumidora assídua e ávida de longas-metragens, documentários, séries e livros. Licenciou-se em Comunicação Social, pela Escola Superior de Educação de Coimbra. Depois de estagiar na ESEC TV, foi assistente de produção no programa Câmara Clara da RTP. Em 2013, iniciou uma nova fase profissional, na LUA Filmes, onde se mantém até hoje como produtora.

POPULARES