Ligue-se a nós

Sociedade

Batalha prepara confinamento e mantém distribuição de máscaras e realização de testes

“Serão igualmente retomados os serviços de apoio domiciliários às famílias carenciadas e menores condições de mobilidade, designadamente de entrega de produtos alimentares e medicamentos”, informa a autarquia batalhense.

Publicado

em

Tenda
Foto: Tenda USF Batalha / Município da Batalha

A Câmara Municipal da Batalha decidiu, na reunião desta segunda-feira, antecipar o confinamento anunciado para todo o país, mantendo o programa municipal de distribuição de máscaras e de apoio à população para a realização de testes à covid-19.

O Município irá implementar medidas de redução de contactos nos serviços municipais e no funcionamento das escolas, de acordo com uma nota enviada às redações.

“Serão igualmente retomados os serviços de apoio domiciliários às famílias carenciadas e menores condições de mobilidade, designadamente de entrega de produtos alimentares e medicamentos, bem assim serão reforçadas as condições de acolhimento de emergência, para situações de isolamento profilático em que as famílias não disponham de condições habitacionais para o efeito”, informa ainda a autarquia liderada por Paulo Batista Santos.

Os apoios ao ensino à distância serão também reforçados, face ao número crescente de alunos que se encontram em regime de quarentena preventiva, procurando garantir a todos os alunos condições de aprendizagem, mesmo quando ausentes do espaço escolar.

Nesta área, a autarquia batalhense em articulação com o Agrupamento de Escolas, tem igualmente preparado o cenário de encerramento das escolas, caso o Governo assim o decida ou por motivos de prevenção da saúde da comunidade educativa.

Na eventualidade do encerramento de escolas, o município da Batalha também antecipada a disponibilização de serviços de acompanhamento e refeições aos filhos dos profissionais de saúde e pessoal dos serviços essenciais (Bombeiros, GNR, lares e unidade de cuidados continuados), medida que envolve três centros educativos – Batalha, São Mamede e Reguengo do Fetal – e ainda uma equipa de profissionais educativos com formação específica para o efeito.

“No plano definido, cada escola vai começar por ter capacidade para acolher no máximo 10 crianças até aos 12 anos, no período da 07:30 às 19:00, mas, consoante as necessidades identificadas, há possibilidade de adaptarmos quer essa lotação, quer o horário de funcionamento”, esclarece o autarca local.

“Vamos também continuar a apoiar os doentes com a covid-19, bem assim as empresas e negócios mais afetados por esta crise pandémica”, conclui Paulo Batista Santos, presidente da Câmara Municipal da Batalha.

POPULARES